Arquivo de abril, 2012

Dia Internacional de Luta das Mulheres, São Paulo/SP (2011). Foto: Elaine Campos.

 Pode começar com uma mensagem no gtalk, um comentário no Facebook ou um tuíte – pra quem trabalha no computador ou passa horas nele por conta de estudo/hobbie. Pode começar depois de uma fala machista de um policial, no meio de uma palestra em uma faculdade de Direito – como no caso da Marcha das Vadias (Slutwalk), que só foi ganhar a internet depois. As nossas ideias criativas de como mudar a vida das mulheres pra mudar o mundo/mudar o mundo pra mudar a vida das mulheres não escolhem ocasião, surgem como contra-ofensiva (alternativa) à ofensiva sexista cotidiana.

Então, de repente, você encontra parceiras pra fazer as mais variadas coisas, de panfletagens e ações diretas nas ruas a tuitaços e blogagens coletivas. Parceiras que compartilham das mesmas visões de mundo, ainda que com uma ou outra divergência saudável, e, principalmente, que compartilham das mesmas motivações pra querer tornar a vida mais justa e solidária entre mulheres e homens. E daí que basta pensar alto pra que essas pessoas se somem a você, com o mesmo gás pra fazer acontecer #tudoaomesmotempoagora: o feminismo é urgente e não pode esperar. (mais…)

Anúncios

Nunca pensei que conheceria alguém de Olympia. Nunca pensei que conversaria sobre o riot grrrl com alguém do Rock Camp for Girls de Olympia. Nunca pensei que sentaria no chão e arrastaria meu inglês com pessoas tão fodas de uma das bandas mais legais da atualidade.

Eu resolvi prestar atenção no RVIVR quando a Adriessa me falou que uma das minas da banda era feminista. Até aí, OK, era só uma banda legal de hardcore que eu ia ter a oportunidade de ver ao vivo. E na última quinta-feira, véspera de feriado de Páscoa, fomos à terceira edição do evento Liga Juvenil Anti-Sexo com a humilde missão de entrevistá-los e de curtir o show. (mais…)