Arquivo de janeiro, 2014

Mudar-se, sim. Perder as origens, jamais. :)

Mudar-se, sim. Perder as origens, jamais. 🙂

Quando me dei conta, já entrava no metrô sem pensar, caminho automático mental estação-casa-trabalho-casa. Já não olhava pras pessoas, a não ser pelo reflexo do vidro do trem. O anonimato foi uma das coisas que sempre me atraiu em São Paulo. Poder andar por aí, com o cabelo mais cagado do mundo, com a certeza que não vai encontrar ninguém conhecido no caminho.

Quando uma velha amiga viu eu me plantar à porta do metrô, na velocidade de um raio, na busca por um assento à sombra e ao ar (nem sempre) condicionado da CPTM, exclamou assustada: “virou paulistana mesmo!”. Quando me vi, já tinha trabalhado sábado, domingo e feriado. Tinha passado finais de semana inteiros dentro de casa, só pelo cansaço acumulado de segunda a sexta – e workaholic é só uma palavra descolada pra dizer que não tá fácil pra ninguém mesmo. (mais…)